Difícil não ficar marcado por este brasão após esta grande experiência
Ter acompanhado incontáveis jogos e campeonatos nacionais e internacionais, representando os Pistons aqui na América Latina me encheu de orgulho.
Avaliar potenciais jogadores de alto nível quando ainda são somente promessas não é tarefa fácil. Ajudá-los a conquistar seu lugar na maior liga de basquete mundial depende de muito investimento e pessoas certas na hora certa.
O mapeamento das forças e fraquezas dos atletas a serem observados é fundamental para uma análise crítica e técnica de suas competências física, intelectual, técnica e tática.
Seguem algumas qualidades individuais que demonstram a amplitude e profundidade do jogo de basquete, influenciando no caráter de qualquer atleta de alto nível neste esporte.
Não vem ao caso agora definir cada uma, mas apenas mostrar mesmo em inglês como um atleta é enxergado por scouts sérios. CLUTCH
BALL HANDLING
CREATES SHOT
PASSING
POST MOVES
DRIBBLE PENETRATION
3 POINTS SHOOTING
FREE THROW
MISTAKES
OFF REBOUNDING
POST DEFENSE
FOOTWORK
COMMUNICATION
ANTICIPATION
DECISION MAKING
TOUGHNESS
BASKETBALL IQ
CONTACT/PHYSICAL STYLE
LEADERSHIP
DUNK
BODY CONTROL
BALL PRESSURE
DEF REBOUNDING
SHOT BLOCKING
MOBILITY
FOUL PRONE
POSITION VERSATILITY
WINGSPAN
EXPLOSIVENESS
ATHLETICISM
EFFORT/ENERGY
PHYSICAL STRENGTH
TEAM ORIENTED


bolar 2002
Com Lou Richie e Tony Freccero em visita à Triple Threat Academy após assinar com os Pistons em 2007
A passagem por Detroit foi fantástica. Conhecer pessoalmente o Joe Dumars, o Palace de Auburn Hills, aquele timaço treinar e jogar, assistir à final do basquete da NCAA, enfim, tudo foi perfeito.


bolar 2007
Tony Ronzone me proporcionou a oportunidade incrível de representar uma das mais importantes equipes da NBA aqui na América Latina



bolar 2007
Joe Dumars conquistou títulos na NBA tanto como jogador quanto como diretor presidente do Detroit Pistons



bolar 2007
Jonh Hammond era o vice presidente dos Pistons em 2007. Sua competência e valores pessoais o levariam anos mais tarde a assumir a presidência do Milwaukee Bucks.
Naquela oportunidade presenciei um fato interessante para um brasileiro acostumado a ver nossas arenas apagadas a maior parte dos dias do ano. Os Pistons conseguiram ir aos Playoffs da temporada. Contudo, por impossibilidade de previsão das datas futuras dos jogos, o Palace já estava completamente vendido para outros eventos e não haveria mais datas disponíveis para os jogos do time em casa. John pegou o telefone e perguntou ao diretor de eventos do Palace: "Quem é mais importante, o Palace ou o Time?" Depois disso, os jogos em Detroit foram marcados e ocorreram sempre com casa lotada.
A administração profissional de uma arena multiuso faz dela uma empresa extremamente rentável, a tal ponto de não haver, mesmo que momentaneamente, data disponível nem mesmo para seu evento principal.


bolar 2007
O Palace de Auburn Hills é a casa dos Pistons e está sempre lotada com 20 mil pessoas
Como curiosidade, a equipe do Detroit Pistons foi a primeira da NBA a adquirir um avião para o transporte de seus jogadores. Mr. Bill Davidson, fundador e dono da franquia de Detroit, foi um pioneiro em muitos aspectos e pode-se dizer que a NBA é hoje a potência que é graças às suas inovações.


bolar 2004
Bill Davidson erguendo a taça de campeão da NBA em 2004
Veio o intervalo do jogo, num domingo pela manhã, na casa do Detroit Pistons, o Palace, e o Miami Heat, então campeão da NBA da temporada anterior, já parecia garantir mais uma vitória para a coleção de Pat Riley, seu treinador.

A preocupação da defesa dos Pistons com Shaquille O'Neal no garrafão acabou proporcionando uma liberdade exagerada ao armador do Miami, Jason Williams, que praticamente acabou com o jogo nos dois primeiros quartos.

Estávamos assistindo à partida na nossa suíte, que possui as cadeiras externas, ligeiramente separadas das arquibancadas, e um salão interno, com restaurante, bar, sala de reunião, etc.

São duas fileiras de cadeiras, sendo que na de cima ficavam o presidente, JoeD, e o vice-presidente, John Hammond. Nas cadeiras de baixo, estávamos eu e os demais.

Despretensiosamente, ao entrarmos para a suíte no início do intervalo, dirigi-me ao vice-presidente e falei: "Temos que negar a bola ao armador desde a quadra de defesa deles". Neste momento, JoeD já estava no vestiário, participando da conversa do treinador, Flip Saunders, com os jogadores.

No reinício da partida, no 3º quarto, comecei a ver uma nova equipe em quadra. O Detroit Pistons mudara radicalmente sua maneira de defender, utilizando Rip Hamilton como um marcador implacável contra Jason Williams. 

Neste momento, Tony Ronzone, Scout internacional e assistente técnico dos Pistons, sentado ao meu lado, bate na minha mão direita e diz: "Você lembra daquilo que falou com o John Hammond no intervalo? Pois bem! Logo em seguida, ele ligou para o JoeD no vestiário e passou a mensagem. Automaticamente, JoeD conversou com o Flip Saunders".

Daquele momento em diante, a emoção tomou conta de mim e de todo o Palace, lotado com mais de 22mil pessoas, a ponto dos jogadores terem dificuldade de ouvir o apito do árbitro.

Rip Hamilton fez um trabalho perfeito e o mérito da vitória não poderia ser de outra pessoa senão ele. Contudo, nunca me esquecerei de ter contribuído de alguma forma numa vitória tão importante, numa temporada em que poderíamos ter chegado a mais um título.

Uma das experiências mais marcantes da minha vida profissional foi ter servido ao Detroit Pistons, como Latin America Scout, por mais de três anos.

Como treinador de basquete, orgulho-me de todos os treinadores brasileiros que tiveram a paciência de transmitir seu conhecimento aos mais novos como eu. Meu muito obrigado a todos eles e, em especial, ao professor Waldir Boccardo.

Quem tiver curiosidade de ler mais sobre este jogo, acesse o link abaixo:
espn.go.com
©